Ângela Ribeiro

A Ângela entrou no universo das artes pelas portas da dança... Mas o tempo e uma lesão na coluna fizeram-na redirecionar o seu caminho. Aceitou com tranquilidade esta mudança de rumo e encontrou uma outra forma de sentir o movimento: o teatro de marionetas.

Em 2003, voou até à Escócia para frequentar o curso “Puppet Theatre Arts” e em 2005, de volta a Portugal, reencontra-se com o ninho criativo que a acolhe na sua Almada, retomando o contato com os seus pares e ensaiando nas Casas Municipais da Juventude.

Desde aí, tem desenvolvido regularmente projetos e espetáculos de marionetas, apresentados em iniciativas municipais como a Quinzena da Juventude ou a Mostra de Teatro de Almada, dirigindo oficinas de dança criativa e ministrando aulas de educação artística.

Alguns dos seus projetos, desenvolvidos em conjunto com Catarina Pé-Curto e Ana Gouveia, com quem trabalha de perto, têm vindo a ser apresentados em nome d´“O Mundo do Espectáculo”, associação cultural com sede no concelho de Almada.

 
Perfil
O sucesso da candidatura apresentada em 2012 por esta entidade a um programa de apoio à internacionalização, promovido pela Direção Geral das Artes, representa um sinal inequívoco da qualidade e do reconhecimento do seu trabalho, tendo-lhe permitido apresentar o espetáculo de marionetas “Cais Vivo” em festivais internacionais na Tunísia e na Índia.

Mas o que mais interessa a Ângela no contacto com as marionetas é o trabalho de manipulação do movimento dos objetos.

Encontrou neste “filho do teatro” uma resposta às suas “urgências criativas” pelo facto de reunir várias linguagens artísticas, que vão da dança e do teatro às artes plásticas.

Lê a entrevista completa no tema PALAVRAS CRUZADAS e acompanha a Ângela Ribeiro em www.angela-ribeiro.blogspot.com.