Plano de Pormenor da Corvina /Raposeira - Enquadramento->

Plano de Pormenor da Corvina /Raposeira - Enquadramento
Na sequência da aprovação pela Câmara Municipal de Almada em 21 de setembro de 2005, do Estudo de Enquadramento Estratégico da Costa da Trafaria, e decorrente das suas orientações estratégicas a CMA deliberou a elaboração do Plano de Pormenor da Corvina/Raposeira.
 
O território em que se insere a Área de Intervenção apresenta uma fraca acessibilidade, uma vez que a única ligação é efetuada através da estrada militar que liga o quartel da Trafaria e os antigos Fortes de Alpenas e da Raposeira.
 
As áreas contíguas ao território de intervenção têm vindo a ser progressivamente ocupadas com habitações, na sua maioria de génese ilegal, situação que urge clarificar e compatibilizar com adequadas medidas de ordenamento.
 
A área de intervenção constitui-se por uma zona de cabeço desocupada, com maciços arbóreos e arbustivos, e possui um interessante sistema de vistas, sobretudo para nascente. Este aspeto deve ser aproveitado em conjunto com as características do território envolvente localizado a poente. Trata-se de uma área que, pelo sistema de vistas e património arquitectónico impar (Forte de Alpenas e da Raposeira), possui elevado potencial de desenvolvimento enquanto espaço de recreio e lazer e de vocação turística.
 
Porém, o Forte de Alpenas e da Raposeira, que constituem as principais referências de ocupação pela peculiaridade arquitectónica, desde as suas desafectações têm sido alvos de atos de vandalismo. Se no passado a sua presença e as condicionantes associadas à sua atividade foram o principal factor de impedimento de construção na zona envolvente, atualmente considera-se que, se devidamente recuperados, podem ser elementos estratégicos e de potencial desenvolvimento do território.
 
Os objetivos deste Plano de Pormenor são:

» Ordenar a ocupação ao longo da linha de festo (resolução dos conflitos de ocupação do território e revisão de perímetros urbanos)

» Salvaguarda dos valores naturais e paisagísticos (permitir o usufruto da plataforma como parque urbano equipado sem prejuízo da salvaguarda e proteção da Arriba, em articulação com uma nova utilização dos Fortes)

» Redelimitação das áreas da REN

» Revisão das condicionantes existentes (militares)

» Definição das acessibilidades (IC32, ligação entre a Trafaria e Corvina/Raposeira)

» Assegurar a ligação com a área do PP Expansão Sul da Trafaria/Raposeira

» Articulação com as intenções, referidas no Estudo de Enquadramento Estratégico, para a zona a sul do Plano (plataforma que se desenvolve desde o Forte de Alpenas ao IC20)