Setas Login
Setas Agenda Setas Contactos Setas Mapa do Sítio    
Homepage Museus - Flickr
 
Página inicial SeparadorDestaques SeparadorInventário Patrimonial
Inventário Patrimonial seta indicativa de direcção do conteúdo 
Separador

Igreja de Nossa Senhora do Bom Sucesso
A Ermida de Santa Luzia
 
Segundo o padre Luís Cardoso, a Igreja da Nossa Senhora do Bom Sucesso localizar-se-á no local onde anteriormente existiu o Hospital de S. Lázaro  (In Dic. Geográfico, T. I e II).
 
Em 1505, um inventário refere a existência de uma Ermida de S. Lázaro, edificada para proporcionar conforto espiritual aos leprosos. Durante o séc. XVII, o hospital é incorporado na Misericórdia e a ermida é cedida à irmandade de Santa Luzia. Em 1696, foi fundada a Irmandade da Senhora do Bom Sucesso, transferindo-se a capela para sua posse. O painel de azulejos perpetuado nas escadas de acesso ao coro alto data de 1715.

 

 

 

Igreja de Nossa Senhora do Bom Sucesso
A Igreja de Nossa Senhora do Bom Sucesso
 
A Igreja de Nossa Senhora do Bom Sucesso, construída em 1759, foi edificada, aproximadamente, no antigo local do templo evocativo a Santa Luzia, de menores dimensões arquitectónicas, completamente destruído pelo terramoto de 1755.
 
De estilo Pombalino, representado convenientemente na fachada, janela e porta, apresenta planta longitudinal, composta por uma só nave, capela-mor e sacristia orientada a Sudeste. As paredes são revestidas a azulejo (branco/azul), datados de 1758/60. A frontaria principal possui duas torres de sino (com uma janela ao centro sobre o portal). No campanário da direita, observam-se dois relógios de sol. Ainda é possível admirar, na fachada principal, um terceiro relógio electrónico. No ano de 1820, a Irmandade da Nª Sr.ª do Bom Sucesso reconstruiu, no local da capela, casas de dois pisos.
 
Deste templo sai, anualmente, no dia 1 de Novembro, a procissão integrada nas Festas Religiosas de Nossa Senhora do Bom Sucesso (santa padroeira da Freguesia). Segundo a tradição, terá sido a divindade responsável pela segurança dos habitantes quando, após o terramoto de 1755, evitou que fossem tragados pelas vagas do Tejo.


Voltar Voltar   Imprimir Imprimir
 
Acessibilidade | Política de Privacidade | Ficha Técnica | Sugestões/Reclamações | Perguntas Frequentes
Copyright © 2007 Almada Informa. Todos os direitos reservados.