Setas Login
Setas Agenda Setas Contactos Setas Mapa do Sítio Setas English Version    
 
Matos seta indicativa de direcção do conteúdo 
Separador

Os matos são formações vegetais dominadas por espécies arbustivas ou sub-arbustivas, que não possuem elementos arbóreos. Têm porte mais baixo que os matagais, não atingindo geralmente mais de 1,5 m de altura. Consoante as espécies predominantes, identificam-se em Almada vários tipos de matos:
 
 


Matos de carvalhiça
 
Matos de carvalhiçaOs matos de carvalhiça desenvolvem-se na orla de medronhais ou carrascais, constituindo uma etapa de regressão destas comunidades. São endémicos da região entre o Tejo e a Lagoa de Melides, incluindo a Serra da Arrábida e o Cabo Espichel. Pouco exigentes em temperatura, requerem alguma humidade, aparecendo frequentemente em terrenos mais ou menos arenosos. São matos densos e baixos, dominados por carvalhiça (Quercus lusitanica), mas incluindo outras espécies como a murta (Myrtus communis), espargo-bravo (Asparagus aphyllus), trovisco-fêmea (Daphne gnidium), aderno-de-folhas-estreitas (Phillyrea angustifolia), sobreiro (Quercus suber), urze-roxa (Calluna vulgaris), urze-das-vassouras (Erica scoparia), queiró (Erica umbellata), estevinha (Cistus salviifolius), rosmaninho (Lavandula luisieri), cila-de-uma-folha (Scilla monophyllus), pegamaço (Rubia peregrina), entre outras. Estes matos estão incluídos no Habitat 5330 - Matos termomediterrânicos pré-deserticos da Directiva Habitats nº 92/43/CEE, correspondendo ao Habitat 5330pt4 – Matagais de Quercus lusitanica. Em Almada, ocupam cerca de 10 ha, apresentando distribuição muito restrita.
 


Tojais-urzais
 
TojoOs tojais-urzais são matos dominados por tojo e urzes, que apenas existem em solos derivados de arenitos na região da península de Setúbal, até à Lagoa de Melides, excluindo a Serra da Arrábida e o Cabo Espichel. São dominados por tojo (Ulex australis subsp. welwitschianus), sendo ainda abundantes espécies como urze-roxa (Calluna vulgaris), tojo-molar (Genista triacanthos), queiró (Erica umbellata), urze-vermelha (Erica australis), urze-das-vassouras (Erica scoparia), estevinha (Cistus salviifolius), esteva (Cistus ladanifer), rosêlha-pequena (Cistus crispus), sargaça (Halimium halimifolium), rosmaninho (Lavandula luisieri), tomilho (Thymus capitellatus), entre outros. Correspondem ao Habitat 2150 pt1* - Dunas fixas com tojais-urzais e tojais-estevais psamófilos com Ulex australis subsp. welwitschianus da Directiva Habitats nº 92/43/CEE, que tem conservação prioritária.
  


Tojais de tojo-chamusco
 
Tojais de tojo-chamuscoOs tojais de tojo-chamusco são matos espinhosos de areias dunares, exclusivos da região entre o Tejo e a Lagoa de Melides, com excepção da Serra da Arrábida e do Cabo Espichel. Típicos de charnecas, são matos ricos em plantas endémicas, onde, para além do tojo-chamusco (Stauracanthus genistoides), são muito abundantes espécies como tomilho (Thymus capitellatus), sargacinha (Halimium calycinum), rosmaninho (Lavandula luisieri), tojo (Ulex australis subsp. welwitschianus), perpétua-das-areias (Helichrysum picardi), entre outros. Esta comunidade corresponde ao Habitat 2260 - Dunas com vegetação esclerófila da Cisto-Lavanduletalia Directiva Habitats nº 92/43/CEE.




Imprimir Voltar   Imprimir Imprimir
 
Acessibilidade | Política de Privacidade | Ficha Técnica | Sugestões/Reclamações | Perguntas Frequentes
Copyright © 2007 Almada Informa. Todos os direitos reservados.