Espaços Verdes Urbanos seta indicativa de direcção do conteúdo 
Separador

Os Espaços Verdes Urbanos são espaços abertos, predominantemente revestidos com vegetação, e em alguns casos equipados com mobiliário urbano e equipamentos específicos para recreio e/ou estadia, ou com equipamentos vocacionados para acontecimentos culturais e sociais.   
 
No contexto ambiental actual, os Espaços Verdes Urbanos, pela sua relação directa com o nível de naturalização em espaço edificado, são os grandes responsáveis pela biodiversidade nas cidades, sendo este o maior indicador de sustentabilidade do sistema urbano.
 
O papel desempenhado pela vegetação dos Espaços Verdes Urbanos, traduz-se ao nível de:
in A Arquitectura Paisagista – Morfologia e Complexidade, Manuela Raposo Magalhães, 2001
O que se resume na melhoria da qualidade de vida das populações que deles usufruem.
 
De acordo com as suas características morfológicas e fisiológicas os Espaços Verdes Urbanos são designados por:


Parques

Espaços verdes, mais vastos, que asseguram as principais funções da paisagem natural ao penetrarem nos aglomerados urbanos.

Jardins Públicos

Espaços públicos onde se verifica uma maior predominância dos elementos da natureza e que se destinam ao recreio, lazer e convívio de todos os escalões etários da população (Ex: Jardins históricos, ‘Jardins tradicionais’).

Jardins de Uso Condicionado

Espaço verde de uso condicionado, quer pela tutela do mesmo, quer pelo uso a ele associado, mas que permite o usufruto pontual da população em geral (Ex: Logradouros de Escolas, Espaços Verdes de Colectividades / Associações).

Espaços Verdes de Enquadramento

Espaços envolventes a estruturas e edifícios, espaços verdes ligados à rede de circulação rodoviária – faixas e placas separadoras de trânsito com revestimento vegetal, taludes com revestimento vegetal, etc. (Ex: Rotunda do Centro Sul).
 
 
> Parque da Cidade - Parque da Paz
> Parques e Jardins


Imprimir Voltar   Imprimir Imprimir